Habilidades BNCC

  • EF01LP18
    Registrar, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, cantigas, quadras, quadrinhas, parlendas, trava-línguas, dentre outros gêneros do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto/finalidade do texto.
  • EF02LP14
    Planejar e produzir pequenos relatos de observação de processos, de fatos, de experiências pessoais, mantendo as características do gênero, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto.
  • EF03LP01
    Ler e escrever palavras com correspondências regulares contextuais entre grafemas e fonemas – c/qu; g/gu; r/rr; s/ss; o (e não u) e e (e não i) em sílaba átona em final de palavra – e com marcas de nasalidade (til, m, n).
Roteiro do Vídeo

Olá turminha, tudo bem com vocês?

Estão se cuidando para se proteger do coronavírus?

Eu já contei para vocês que gosto muito de história, não é mesmo?

E como eu gosto muito das histórias infantis, fico curiosa para saber sobre a vida das pessoas que escrevem essas histórias.

E vocês?

Por exemplo, vocês conhecem a história do Nicolau que teve uma ideia?

E aquela do Coelhinho que não era de Páscoa?

Todos esses livros, e muitos outros, foram escritos pela Ruth Rocha.

Uma escritora brasileira que ama escrever livros infantis.

Ruth nasceu em 1931, em São Paulo.

E foi seu avô Ioiô quem apresentou a ela os contos clássicos como Chapeuzinho vermelho, O soldadinho de chumbo e A Bela adormecida.

Mas, foram as leituras que ela fez do Monteiro Lobato que fez com que se tornasse uma escritora.

E porque eu estou contando sobre a vida dessa escritora?

É porque hoje vamos descobrir como se chamam os textos que falam de alguém, que contam sobre a vida de uma pessoa.

E sabe quem eu trouxe para nos explicar sobre isso? A turma na Biblioteca!

Vídeo 1: Turma da biblioteca –  Grafia

Duração: 13’10

Parceiro: MultiRio

http://www.multirio.rj.gov.br/assista/index.php/1030-grafias

Olha só!

Então, quando um texto conta sobre a vida de alguém, ele se chama Biografia.

E quando é a própria pessoa que escreve sobre a sua vida, se chama autobiografia.

E quando escrevemos sobre algo que aconteceu com a gente?

Isso mesmo, Memória!

Nesse podemos até inventar algumas coisas para deixar a história mais engraçada, misteriosa ou mesmo com um toque de suspense…

Ah! Já ia me esquecendo, essa turminha até nos contou sobre o autorretrato, que é um retrato que fazemos de nós mesmos!

Isso tudo me deu uma ideia….

Que tal você escrever a sua autobiografia, ou mesmo uma memória sobre esse período que está em casa, de quarentena?

Se você quiser, pode pedir ajuda para algum adulto da sua casa.

Você diz o texto e ele escreve.

E olha que legal, quando as aulas voltarem, você pode levar para a sua escola e mostrar para seus colegas e professores.

Não deixe de ilustrar seu texto com o seu autorretrato!

Você pode fazer com os materiais que tiver em casa: lápis de cor, canetinha, tinta, giz de cera, lápis preto…

E para te ajudar na escrita do texto, que tal aprender sobre a escrita de algumas palavras?

Boas dicas nesse vídeo não é mesmo?

Então o som da letra C, junto com as letras A, O e U, fica parecido com o som das letras QU.

Vamos pensar em algumas palavras com essas letras e falar alto, para ver como o som é parecido?

Eu pensei em casa, comida, curumim, queijo e quintal.

Agora, vamos pensar e falar em voz alta palavras com CE e CI?

Preparados?

Olha as que eu pensei: cenoura e cimento.

Bora praticar?

Você pode convidar as pessoas da sua casa para um desafio.

Chame todo mundo e juntos combinem um tempo, que pode ser de 1 minuto, e tentem falar a maior quantidade de palavras com essas letras.

Na primeira rodada com CA, depois com CO, depois com CU, com QUE, com QUI, com CE e com CI.

E já que falamos da Ruth Rocha, que tal terminar o dia com uma história criada por ela?

Ela se chama “O reizinho Mandão”.

Tenho certeza que vocês irão dar boas risadas…

Vídeo 3: O reizinho mandão

Duração: 7’17

Parceiro: Prefeitura de Jundiaí

Uau!

Hoje o nosso dia foi de muito aprendizado, não é mesmo?

Mas, agora, já é hora de ir!

Se quiserem continuar aprendendo, é só pedir ajuda a um adulto e apontar a câmera do celular para o QR code que está na tela.

Até nosso próximo encontro!