Habilidades BNCC

  • EF15LP01
    Identificar a função social de textos que circulam em campos da vida social dos quais participa cotidianamente (a casa, a rua, a comunidade, a escola) e nas mídias impressa, de massa e digital, reconhecendo para que foram produzidos, onde circulam, quem os produziu e a quem se destinam.
  • EF69LP49
    Mostrar-se interessado e envolvido pela leitura de livros de literatura e por outras produções culturais do campo e receptivo a textos que rompam com seu universo de expectativas, que representem um desafio em relação às suas possibilidades atuais e suas experiências anteriores de leitura, apoiando-se nas marcas linguísticas, em seu conhecimento sobre os gêneros e a temática e nas orientações dadas pelo professor.
Roteiro do Vídeo

Você já parou para pensar que cada texto tem sua própria cara?

Ou cheiro?

Espera aí, que história é essa?

Calma! Não estamos falando no sentido literal…

Estamos falando sobre gêneros textuais, ou seja, sobre as classificações dos textos que lemos.

Cada texto tem estrutura e linguagem próprias, assim como funções comunicativas e sociais.

Vamos começar vendo um vídeo sobre textos e linguagens.

Pegue o caderno, seu lápis, e anote as explicações que a professora dá para os pictogramas, ideogramas e alfabetos.

Anote também a definição que ela dá para a palavra texto.

Vamos lá? 

Vídeo 1: Tempo de Estudar – Língua Portuguesa – 5º ano – Linguagem e textos (0’27” a 6’12″”

Parceiro realizador: Multirio

Duração: 5:85’

http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/estude/60-cursos/15162-linguagem-e-textos

 

 

 

Com o primeiro vídeo, você já descobriu que a palavra texto se origina de uma outra palavra do latim, “texere”, e significa tecer, construir.

E que um texto é um conjunto de ideias expressas por meio da linguagem ou linguagens.

Portanto, um texto é toda forma de expressão que construímos para dizer algo, comunicar uma ideia e dialogar com outras pessoas…

Quando feito de palavras, o texto é construído pela linguagem verbal.

Quando feito de imagens, ele é chamado de não verbal, como as esculturas e quadros.

E a professora também mostrou os textos construídos com linguagem verbal e não verbal.

Agora, vamos compreender melhor a questão dos gêneros textuais, com função e formatos próprios.

Observe como as pessoas identificam a que gênero cada texto pertence e a função que eles exercem.

Pronto para começar?

Vídeo 2: O pulso ainda pulsa: estratégias para ler um texto (até 14’52”)

Parceiro realizador: MultiRio

Duração: 14’52”

http://www.multirio.rj.gov.br/assista/index.php/94-o-pulso-ainda-pulsa-estrategias-para-ler-um-texto

Agora que já sabe tanta coisa sobre texto, gênero, linguagem verbal e não verbal, eu proponho um desafio: praticar o que aprendeu hoje, lendo um texto-filme.

Assista ao próximo vídeo e preste muita atenção no filme O garoto, de Charlie Chaplin.

Anote em seu caderno a história que está sendo contada por meio de imagens, gestos e movimentos.

Depois reflita:

O que pode ser considerada informação explícita nas cenas desse filme?

E o que precisa, como a professora disse, de investigação do texto?

Ou seja, interpretar, decifrar e inferir?

Vídeo 3: Tempo de Estudar – Língua Portuguesa – 5º ano – Descobrindo informações explícitas e implícitas (0’55” a 6’15”)

Parceiro realizador: Multirio

Duração: 5: 63’

Na primeira cena, vemos um garotinho jogar pedras em uma janela, quebrando seus vidros.

Logo em seguida, uma mulher sai da casa e vê o estrago.

Um outro personagem aparece na cena, carregando um vidro nas costas.

É possível observar a mulher dizendo algo para ele e olhando em direção à janela, uma vez que ele parece ser um vidraceiro.

Como sabemos disso?

Ora, ele carrega o vidro, a mulher fala com ele, ele tira o vidro das costas, olha para os lados, olha para a janela.

Nós, expectadores, pressupomos o que fará: vai consertar a janela com os vidros quebrados.

Enquanto isso, o garotinho já correu para outro lado e continua quebrando outros vidros.

O filme não termina aí, mas já deu para saber um monte de coisa, sem que nenhuma palavra tenha sido dita.

Sobre as informações explícitas e implícitas do texto, ainda é preciso considerar aquilo que a professora chamou de inferência ou de inferir.

Será que o menininho que quebra vidros tem alguma relação com o homem que conserta as janelas?

Bom, essa pergunta diz respeito às informações implícitas do texto, uma vez que não dá para saber com certeza sem assistir todo o filme.

Mas, é fato que ficamos desconfiados da coincidência e podemos suspeitar de que os dois personagens combinaram tudo.

Só para dar uma pista.

O homem e o menino se conhecem muito bem!

Ficou curioso?

O filme está disponível na internet!

Para saber mais, basta apontar a câmera do celular para o QR code que está na tela.

Até a próxima!