Habilidades BNCC

  • EF69AR34
    Analisar e valorizar o patrimônio cultural, material e imaterial, de culturas diversas, em especial a brasileira, incluindo suas matrizes indígenas, africanas e europeias, de diferentes épocas, e favorecendo a construção de vocabulário e repertório relativos às diferentes linguagens artísticas.
  • EF69LP21
    Posicionar-se em relação a conteúdos veiculados em práticas não institucionalizadas de participação social, sobretudo àquelas vinculadas a manifestações artísticas, produções culturais, intervenções urbanas e práticas próprias das culturas juvenis que pretendam denunciar, expor uma problemática ou “convocar” para uma reflexão/ação, relacionando esse texto/produção com seu contexto de produção e relacionando as partes e semioses presentes para a construção de sentidos.
Roteiro do Vídeo

Quando você era criança, gostava de fazer desenhos pela parede da casa?

Alguma vez você já passou por essa experiência?

Ou já observou como as crianças pequenas gostam de se aventurar pelas telas que encontram?

Mas, qual a relação dos rabiscos e desenhos das crianças com a arte urbana?

Ou, mais propriamente, com o grafite?

Você sabe dizer?

Aliás, vamos começar do começo: você sabe o que é arte urbana?

Conhece o grafite?

Bom, já deu para perceber que esse é o assunto da aula de hoje, não é?

E por duas razões: para você ampliar seus conhecimentos sobre o que é arte e diferentes tipos de intervenções artísticas.

E também para que você reflita sobre o papel da arte na formação cultural das pessoas, na apropriação dos espaços e na possibilidade de se estabelecer diálogos e aceitação das diferenças.

Pronto para descobrir como isso acontece?

Preste atenção ao que os artistas falam sobre o grafite como a democratização da arte.

O que grafites expressam sobre os lugares e as pessoas que habitam as cidades?

Como as cidades se transformam com os grafites?

É possível viver fazendo arte?

Vídeo 1: Viver Ciência- Arte Urbana

Parceiro realizador: TV UFG

Duração: 24’56”

Atividade sugerida para aprender sobre o tema

Nossa, ouvindo os artistas falarem sobre seu trabalho, sabe que eu até fiquei com vontade de aprender o grafite para poder fazer minhas próprias intervenções urbanas?

Mas, aproveitando que você já sabe tanta coisa sobre o grafite e os artistas urbanos, que tal fazer as atividades propostas a seguir?

A primeira é uma atividade de leitura.

Você sabia que o grafite é uma arte tão importante que está até mesmo em exames nacionais, como o ENEM?

Veja a questão a seguir, da prova de 2009 desse exame.

Para respondê-la, leia o texto com bastante atenção!

APRESENTADOR LÊ EM OFF E QUESTÃO APARECE NA TELA.

[ENEM, 2009] Quatro olhos, quatro mãos e duas cabeças formam a dupla de grafiteiros “Osgemeos”. Eles cresceram pintando muros do bairro Cambuci, em São Paulo, e agora têm suas obras expostas na conceituada Deitch Gallery, em Nova York, prova de que o grafite feito no Brasil é apreciado por outras culturas. Muitos lugares abandonados e sem manutenção pelas prefeituras das cidades tornam-se mais agradáveis e humanos com os grafites pintados nos muros. Atualmente, instituições públicas educativas recorrem ao grafite como forma de expressão artística, o que propicia a inclusão social de adolescentes carentes, demonstrando que o grafite é considerado uma categoria de arte aceita e reconhecida pelo campo da cultura e pela sociedade local e internacional.

NÃO LÊ. SÓ APARECE NA TELA: [Disponível em http://www.flickr.com. Acesso em: 10 set.2008 (adaptado)]

No processo social de reconhecimento de valores culturais, considera-se que

(A) grafite é o mesmo que pichação e suja a cidade, sendo diferente da obra dos artistas.

(B) a população das grandes metrópoles depara-se com muitos problemas sociais, como os grafites e as pichações.

(C) atualmente, a arte não pode ser usada para inclusão social, ao contrário do grafite.

(D) os grafiteiros podem conseguir projeção internacional, demonstrando que a arte do grafite não tem fronteiras culturais.

(E) lugares abandonados e sem manutenção tornam-se ainda mais desagradáveis com a aplicação do grafite.

VOLTA PARA O APRENSETADOR EM ON:

Enquanto você pensa na questão, vamos para a segunda atividade!

O que você acha de formar um grupo com seus colegas de escola ou vizinhos e montar um projeto de arte urbana no seu bairro ou nos muros de sua escola?

Que lugares do seu bairro estão abandonados e poderiam ficar mais bonitos se recebessem grafites em suas paredes?

Como saber se a atividade está correta?

Você observou que a questão pode ser respondida apenas com uma boa leitura do texto-fonte?

Todos os vídeos que assistiu e o texto que acabou de ler indicam que o grafite, na verdade, embeleza a cidade, revitalizando muitos lugares abandonados.

Por isso, não dá para achar que alternativa A esteja correta, não é mesmo?

No caso da alternativa B, ela traz uma outra informação incorreta, uma vez que o texto diz que o grafite propicia inclusão social e não problema social.

Na alternativa C, o problema é justamente a contradição apresentada em relação ao texto.

O grafite não só permite a inclusão social, como é usado por muitas instituições públicas educativas como forma de expressão artística que permite a inclusão de muitos adolescentes carentes.

E a alternativa E contradiz o texto justamente porque diz que o grafite torna os lugares abandonados da cidade ainda mais desagradável, quando, na verdade, ele revitaliza esses lugares.

Com isso, resta a alternativa D como correta.

De fato, tanto no texto quanto nos vídeos que assistimos, grafiteiros brasileiros se projetam internacionalmente com a sua arte urbana.

Sobre a segunda atividade, antes de mais nada:

  • Convide as pessoas;
  • Promova rodas de conversas;
  • Avalie quais lugares mereceriam a intervenção do grafite.
  • Pense sobre o que seria necessário para realizar o projeto e como conseguir esse material;
  • Faça uma lista com os nomes de todas as pessoas com quem vocês precisam conversar e pedir permissão para fazer as intervenções.
  • E, com a permissão garantida, é preciso ainda calcular quantos dias serão necessários para fazer o grafite e agendá-los com todos os participantes do projeto.

Para saber mais, basta apontar a câmera do celular para o QR code que está na tela.

Até o próximo encontro!