Voltar

Para saber mais

Notebook, celular, refeição: a geração multitarefa?

Para entender a geração multitarefa!

Roteiro do Vídeo

Objetivo de aprendizagem

valorizar as diversas manifestações artísticas e culturais, seus diferentes suportes, usos e expressões.

Abordagem geral:

  • problematização da realidade e das situações de aprendizagem
  • superação da concepção fragmentada do conhecimento para uma visão sistêmica
  • integração das habilidades e competências curriculares à resolução de problemas
  • promoção de um processo educativo continuado e do conhecimento como uma construção coletiva

Quando vocês ouvem o termo “cultura”, o vem à cabeça?

Museus, obras de arte, manifestações populares, conhecimento de um povo?

Se vocês pensaram nisso tudo, estão no caminho certo.

Cultura tem a ver com conhecimento, arte, crenças, moral, leis, costumes e hábitos de um povo.

E certamente, nós brasileiros temos uma cultura rica e diversa.

Nas últimas décadas, um fenômeno tem modificado bastante a forma como encaramos e consumimos cultura, não só no Brasil, mas no mundo todo.

Sabem qual é?

A tecnologia!

Esse vídeo que veremos hoje vai mostrar exatamente como a tecnologia está mudando o consumo de cultura.

Vamos perceber de que maneira ela impacta a produção musical, audiovisual e artística, através de novas ferramentas, como, por exemplo, a realidade aumentada.

Fiquem atentos ao conceito de binge watching.

Se quiserem, podem até pegar o dicionário de Inglês para entender melhor!

Observem também a ideia de multitarefa, outra forma bem contemporânea dos jovens lidarem com os infinitos conteúdos disponíveis em tantas plataformas digitais.

Vamos lá?

Vídeo 1: Expresso Futuro (Cultura hiperconectada)
Parceiro realizador: Canal Futura
Duração: 25
 http://www.futuraplay.org/video/cultura-hiperconectada/436711/

Vocês perceberam que um dos entrevistados do programa falou sobre a forma como os jovens vêm consumindo cultura na internet, sobretudo com relação ao tempo que dedicam à cada conteúdo?

Ele mencionou que é costume de muitos jovens uma certa impaciência.

Disse também que as novas gerações têm o costume de acelerar o vídeo, o podcast, ou até mesmo rolar a tela para chegar logo ao fim de um texto.

Como se tivessem uma outra velocidade de processamento de informação, diferente das gerações anteriores.

Vocês já fizeram algo parecido?

Tentem se recordar do último filme que assistiram e da sua duração original.

Vocês mantiveram a atenção durante todo o tempo? Ou ficaram tentados a olhar no celular e dar um giro pelas redes sociais?

Que tipo de conteúdo audiovisual vocês mais gostam?

Vídeos de curta duração, produção própria, stories do Instagram ou filmes de ficção mais, digamos, tradicionais?

Tentem reparar se a duração desses conteúdos influencia o interesse pela produção!

E para terminar, deixo uma pergunta:

Vocês acham que consumindo conteúdos de forma acelerada a maneira pela qual absorvemos essas informações e conceitos é prejudicada? Por quê?

Pensem bastante sobre isso e nos vemos na próxima aula!

E para saber mais sobre os temas de hoje, é só apontar a câmera do celular para o QR code que está na tela.

Até mais!