Habilidades BNCC

  • EM13LGG601
    Apropriar-se do patrimônio artístico de diferentes tempos e lugares, compreendendo a sua diversidade, bem como os processos de legitimação das manifestações artísticas na sociedade, desenvolvendo visão crítica e histórica.
  • EM13LP51
Roteiro do Vídeo

O que você sabe sobre Moçambique?

Já leu algum escritor desse país africano?

Já teve curiosidade de saber sobre o que escrevem?

Bom, se não sabe nada sobre isso, aproveite o nosso vídeo de hoje para aprender um pouquinho sobre literatura e livros, brasileiros e moçambicanos.

Em uma entrevista com Rafael Gallo, esse jovem escritor fala sobre as relações entre o Brasil e Moçambique por meio da literatura e da cultura.

Nessa mesma entrevista, também conheceremos o autor moçambicano Alex Dau, que vai falar sobre a construção de identidade da literatura moçambicana.

Uma dica: preste muita atenção sobre o que esses autores falam da língua portuguesa e sobre os aspectos que influenciam as suas produções literárias.

Anote suas impressões e ideias em seu caderno, porque elas serão usadas depois!

Vídeo 1:Trilha de Letras: Do Índico ao Atlântico

Parceiro realizador:  TV  Brasil- EBC

Duração: 27’ 38″

Atividade sugerida para aprender sobre o tema

Viu como Brasil e Moçambique tem muita coisa em comum?

A sua primeira tarefa é produzir uma lista sobre os autores africanos citados no vídeo e outros sobre os quais você já ouviu falar ou tenha lido.

Lembre-se de anotar também os países desses autores.

Afinal, o continente africano é enorme e nem todo mundo é de Moçambique, certo?

Você também pode fazer uma pesquisa na internet e descobrir textos desses autores que estão disponíveis para serem lidos!

Faça a leitura em voz alta, absorvendo as palavras e construindo seus sentidos no texto.

Na segunda tarefa, vamos falar da literatura africana no ENEM.

A questão que você vai ver na sua tela caiu no ENEM de 2015.

MINHA SUGESTÃO É O APRESENTADOR LER EM OFF E QUESTÃO APARECER NA TELA. O PROF. DIZ QUE NÃO PRECISA DA LEITURA. ENTÃO, FICA A CARGO DA DIREÇÃO A ESCOLHA!

[ENEM, 2015, Questão 135]

TEXTO I

Quem sabe, devido às atividades culinárias da esposa, nesses idílios Vadinho dizia-lhe “Meu manuê de milho verde, meu acarajé cheiroso, minha franguinha gorda”, e tais comparações gastronômicas davam justa ideia de certo encanto sensual e caseiro de dona Flor a esconder-se sob uma natureza tranquila e dócil. Vadinho conhecia-lhe as fraquezas e as expunha ao sol, aquela ânsia controlada de tímida, aquele recatado desejo fazendo-se violência e mesmo incontinência ao libertar-se na cama.

[AMADO, J. Dona Flor e seus dois maridos. São Paulo: Martins, 1966.]

 TEXTO II

As suas mãos trabalham na braguilha das calças do falecido. Dulcineusa me confessou mais tarde: era assim que o marido gostava de começar as intimidades. Um fazer de conta que era outra coisa, a exemplo do gato que distrai o olhar enquanto segura a presa nas patas. Esse o acordo silencioso que tinham: ele chegava em casa e se queixava que tinha um botão a cair. Calada, Dulcineusa se armava dos apetrechos da costura e se posicionava a jeito dos prazeres e dos afazeres.

[COUTO, M. Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra. São Paulo: Cia. das Letras, 2002

Tema recorrente na obra de Jorge Amado, a figura feminina aparece, no fragmento, retratada de forma semelhante à que se vê no texto do moçambicano Mia Couto. Nesses dois textos, com relação ao universo feminino em seu contexto doméstico, observa-se que

(A) o desejo sexual é entendido como uma fraqueza moral, incompatível com a mulher casada.

(B) a mulher tem um comportamento marcado por convenções de papéis sexuais.

(C) à mulher cabe o poder da sedução, expresso pelos gestos, olhares e silêncios que ensaiam.

(D) a mulher incorpora o sentimento de culpa e age com apatia, como no mito bíblico da serpente.

(E) a dissimulação e a malícia fazem parte do repertório feminino nos espaços público e íntimo

Essa questão do ENEM não precisa ser lida pelo apresentador, mas deve ficar na tela da TV de 1 a 2 minutos para que o estudante leiam os dois textinhos e consiga ler todas as alternativas.

Como saber se a atividade está correta?

Na primeira atividade, há muitas coisas que podem ter sido anotadas por você.

Por exemplo, o conto “Corte”, de Rafael Gallo.

Ele tem como protagonista uma criança afrodescendente, que sofre preconceitos com relação ao próprio cabelo.

Na história, a avó branca da menina a leva para o salão de cabelereiro para cortar o cabelo e, com isso, “suprimir” seus traços de negritude, como se esses traços fossem ruins.

O autor Alex Dau, por sua vez, fala de Jorge Amado.

Ele diz que esse autor influenciou alguns autores moçambicanos na forma como escrevem.

Segundo Dau, seria “uma maneira mais à vontade de interagir com o leitor”, guiando e inspirando esses autores africanos na construção de uma literatura que considerassem própria.

No caso da questão do ENEM, se respondeu alternativa B, acertou.

“com relação ao universo feminino em seu contexto doméstico, observa-se que a mulher tem um comportamento marcado por convenções de papéis sexuais. ”

Para saber mais, é só apontar a câmera do celular para o QR code que está na tela.

Até a próxima!